?>

Opinião

“Comandante” Nádia e Idenir Cecchim ameaçam à democracia e aos direitos civis

“Comandante” Nádia e Idenir Cecchim ameaçam à democracia e aos direitos civis

Artigo por RED
12/10/2023 05:25 • Atualizado em 13/10/2023 09:55
“Comandante” Nádia e Idenir Cecchim ameaçam à democracia e aos direitos civis

De ALEXANDRE CRUZ*

A democracia é um dos pilares fundamentais de qualquer sociedade civilizada.  No entanto, esta semana, fomos testemunhas de um ato de autoritarismo que desafia esses princípios democráticos em plena luz do dia, na Sessão Plenária da Câmara Municipal de Porto Alegre. O  jornalista Luíz Henrique Silveira, assessor do vereador Jonas Reis, (PT), é um colega extremamente afável, e os protagonistas desse ato condenável foram a “Comandante” Nádia (PP) e Idenir Cecchim (MDB), que buscaram impedir o exercício profissional deste colega. Com uma truculência destes dois “nobres” vereadores, tentaram intimidar e agredir o jornalista Luíz Henrique.

Em uma sociedade democrática, a liberdade de expressão, a transparência e a possibilidade de registrar e documentar eventos públicos são fundamentais para garantir a prestação de contas e a participação efetiva dos cidadãos na tomada de decisões. Qualquer cidadão, profissional, munido de meios legais, tem o direito inalienável de gravar e registrar eventos que ocorram no espaço público, bem como de expressar suas opiniões e perspectivas.

Contudo, a ação de Nádia e Cecchim demonstram uma flagrante falta de respeito pela soberania popular. Tais ações sugerem um descompromisso com uma cultura democrática, um desrespeito pela diversidade de opiniões e uma tentativa de minar o direito dos cidadãos de documentar e questionar o funcionamento de seus representantes eleitos.

É notório que a “Comandante” Nádia prefere a auto intitulação de “Comandante” ao invés de vereadora. Entretanto, é crucial lembrar que o papel de vereador pressupõe a representação dos interesses de sua comunidade e a promoção de princípios democráticos, ao invés de uma designação militar. Embora respeitemos a diversidade de estilos e títulos que as pessoas tenham, fica muito claro que tem um simbolismo  da falta de compromisso pelos princípios democráticos e o respeito pela voz de todos os cidadãos. É preocupante que aqueles que ocupam cargos públicos eleitos, destinados a representar os interesses de todos os cidadãos, estejam dispostos  a restringir a liberdade e a participação dos mesmos. Isso sugere um apoio a valores que não são apenas antidemocráticos, mas também contrários aos princípios civilizatórios que sustentam nossa sociedade.

Reiteramos a importância de manter a integridade e a vitalidade da democracia em nossa cidade, que tempos atrás aprovaram o “Dia do Patriota”, que felizmente o STF derrubou a data que homenageava a intenção do golpe do dia 08 de janeiro de 2023. A tentativa de cercear a atuação de profissionais e cidadãos engajados é um ato inaceitável que não pode ser tolerado em nossa sociedade.

Exigimos que “Comandante” Nádia, Idenir Cecchim e todos os representantes públicos se comprometam com os valores democráticos, respeitem os direitos civis e promovam a transparência e a prestação de contas em seus mandatos. A democracia e o respeito pelos direitos individuais são fundamentais para o progresso de nossa cidade, independentemente de qualquer título autoproclamado.


*Jornalista.

Crédito: Elson Sempé Pedroso/CMPA.

Os artigos expressam o pensamento de seus autores e não necessariamente a posição editorial da RED. Se você concorda ou tem um ponto de vista diferente, mande seu texto para [email protected] . Ele poderá ser publicado se atender aos critérios de defesa da democracia.

Toque novamente para sair.