?>

Opinião

Porto Alegre: celebrar o dia do patriota ou preservar a democracia?

Porto Alegre: celebrar o dia do patriota ou preservar a democracia?

Artigo por RED
30/08/2023 05:25 • Atualizado em 31/08/2023 09:24
Porto Alegre: celebrar o dia do patriota ou preservar a democracia?

De ALEXANDRE CRUZ*

A tentativa de golpe ocorrida em 8 de janeiro de 2023 no Brasil foi, de fato, um episódio marcante e alarmante na história política do país. Além de uma mera ideia, foi uma ação contundente, uma investida coordenada para derrubar as instituições democráticas, o que representou e ainda representa motivo de grande preocupação no nosso país.

A recente decisão da Câmara dos Vereadores de Porto Alegre de instituir o dia 8 de janeiro como o “Dia do Patriota” levanta sérias implicações políticas e sociais. Ao fazê-lo, a cidade está potencialmente se associando a um evento que, na memória coletiva, é visto como uma ameaça à democracia e às instituições do país. Essa associação pode ser interpretada como um apoio indireto à tentativa de golpe e à erosão dos pilares democráticos.

No entanto, é importante observar que nesta segunda-feira, o Supremo Tribunal Federal revogou a decisão de instituir o “Dia do Patriota” em oito de janeiro. Essa revogação, por parte do mais alto órgão judiciário do país, demonstra a sensibilidade do assunto e a compreensão das implicações envolvidas. Ao tomar essa atitude, o STF reforça a importância de preservar a memória democrática, evitando qualquer tipo de celebração que possa ser interpretada como endosso a eventos que ameaçam a estabilidade institucional do Brasil.

Uma cidade que foi o bastião da Campanha da Legalidade em 1961, cuja liderança de Leonel Brizola resistiu ao golpe, corre o risco de manchar a história. Isso é extremamente perigoso. A capital gaúcha está passando por um retrocesso, que o jornalista Eduardo Bueno com razão qualifica como vanguarda do atraso. Os motivos para essa decadência são uma gestão pública ineficaz e corrupta, somada a cortes no financiamentos culturais e sociais. A propagação de desinformação e propaganda, juntamente com as políticas adotadas, está levando a um cenário de retrocesso. A influência de grupos conservadores, com as suas agendas restritivas, exerce poder de pressão que vai ao encontro de valores mais tradicionais.

Nesse contexto, a decisão do Supremo em revogar a celebração do Dia do Patriota, que havia se tornado motivo de chacota em todo o país para nossa cidade, demonstra um passo na direção certa. No próximo ano, teremos a eleição municipal, que representa uma oportunidade para o campo progressista retomar a prefeitura e almejar a conquista da maioria na Câmara. Isso vislumbra um futuro de progresso e mudança para a cidade de Porto Alegre, buscando restaurar sua posição de destaque tanto nacional quanto internacionalmente.


*Jornalista.

Imagem em Pixabay.

Os artigos expressam o pensamento de seus autores e não necessariamente a posição editorial da RED. Se você concorda ou tem um ponto de vista diferente, mande seu texto para [email protected]. Ele poderá ser publicado se atender aos critérios de defesa da democracia.

Toque novamente para sair.